Uma seleção especial de livros para baixar 

Quer receber informações sobre novos títulos disponíveis?

Cadastre-se e receba nossa newsletter

O último homem

 

Autor:a Mary Shelley
Ano de lançamento: 1826
Gênero: romance

Mary Shelley é mundialmente conhecida pelo seu livro Frankenstein, o moderno Prometeu, escrito quando tinha 18 anos, mas O último homem, escrito oito anos depois, também é uma obra imperdível.

Ambientado no final do século 21, a humanidade praticamente desapareceu após uma misteriosa epidemia, restou Lionel Verney, o último homem sobre a Terra, testemunha do ocaso da raça humana.

 

A partir de uma praga, o planeta se vê envolvido em uma guerra de proporções mundiais entre as nações. As cidades desertas se transformam em selvas por onde emergem seitas messiânicas que incitam a violência entre os membros da população. Apenas Varney consegue sobreviver à enfermidade que se manifesta em forma de forte febre.

 

Se tal descrição te faz lembrar as duas guerras mundiais, as epidemias e o atual cenário mundial castigado pela pandemia de covid19, você está no caminho certo.

  

O livro foi escrito sob o impacto da morte do marido de Mary Shelley, o poeta Percy Shelley, em uma acidente de barco. A autora, que já enfrentara a morte de três de seus quatro filhos viu seu mundo desabar.

Não encare o livro apenas como uma obra de ficção científica, mas, assim como em Frankenstein, mais uma profunda reflexão sobre os limites da natureza humana.

 

 

blecaute.jpg

Blecaute

 

Autor: Marcelo Rubens Paiva
Ano de lançamento: 1986
Gênero: romance

No embalo do extraordinário sucesso de Feliz ano velho (1982), Marcelo Rubens Paiva lançou, quatro anos depois, Blecaute (1986, primeira edição pela Brasiliense), romance ficcional no qual parecia querer fugir do estigma de ser autor de um livro autobiográfico - e só. Blecaute ainda carrega ainda forte dose de adolescência, despretensioso do ponto de vista literário, mas é gostoso de ser lido.   Na história, Rindu, o narrador, e dois amigos, resolvem fazer uma expedição às cavernas do Vale do Ribeira. Para o infortúnio do pequeno grupo, ou não, os jovens ficam presos nas cavernas por três dias, por conta de uma tempestade. Quando conseguem sair, todas as pessoas do planeta haviam se transformado em estátuas. Encontram uma São Paulo absolutamente deserta, são os únicos sobreviventes de um fenômeno inexplicável. As descobertas, os medos, conflitos e luta pela sobrevivência vão se tornar o cotidiano dos personagens.
Inspirado, segundo o próprio autor, no seriado de televisão estadunidense Twilight Zone (Além da imaginação, na versão brasileira), Blecaute serve como inspirativa reflexão para esses dias de isolamento e desertas cidades.

 

 

amn.jpg

Admirável Mundo Novo

 

Autor: Aldous Huxley
Ano de lançamento: 1932
Gênero: romance

 

Escrito por Aldous Huxley (1894-1963) em 1931 e publicado no ano seguinte, Admirável Mundo Novo é a consagração do pesadelo tecnológico a serviço de um Estado totalitário. A obra de Huxley se apropria de seu tempo, dos avanços científicos que a humanidade experimentava, ou almejava (como a clonagem humana, tema de recorrente na ficção da época, e teorias comportamentais como as desenvolvidas por John B. Watson), da derrocada da economia do planeta, ocasionada pela crise mundial de 1929 e o avanço do fascismo e do nazismo.

Leia mais em http://editoralimiar.blogspot.com/2020/03/admiravel-mundo-novo.html

 

 

capa-.jpg
O-Amor-nos-Tempos-do-Colera.jpg

Não verás país nenhum

 

Autor: Ignácio de Loyola Brandão
Ano de lançamento: 1981
Gênero: romance

 

Escrito em 1981, ainda sob o regime militar brasileiro, esta obra surpreendente conta acompanha a vida de Souza, ex-professor de História, que sobrevive como funcionário público, em um futuro distópico, em uma São Paulo dominada por lixo, gangues, burocratas e militares e milícias, os "civiltares".

Além da ditadura política que não terminou neste futuro incerto, o país convive com a degradação ambiental, a Amazônia virou um deserto, racionamento de água, calor insuportável, alimentos artificiais e manufaturados, ausência quase total de vida animal e vegetal, nascimento de crianças deformadas e mutantes.

Para tentar "contornar" problemas, como o do calor intenso, o governo constrói uma enorme marquise (que dá para ser vista da Lua) para abrigar do Sol as milhões de pessoas presas nesse pesadelo.

NÃO VERÁS PAÍS NENHUM é uma obra-prima de como o futuro poderia ser caótico. Quarenta anos após sua publicação, com nossas florestas queimando, nosso território e riquezas sendo entregues diariamente, um governo autoritário apoiado por milícias paramilitares, vemos que Loyola Brandão não narrou um pesadelo ficcional, mas uma quase premonição.   

 

Amor nos tempos do cólera

 

Autor: Gabriel Garcia Marquez
Ano de lançamento: 1987
Gênero: romance

 

Gabriel García Márquez, prêmio Nobel de 1982, considera "O amor nos tempos do cólera" seu melhor romance, ainda maior, segundo ele, do que "Cem Anos de Solidão". A gênese da obra teve como ponto inspiração a relação dos próprios pais do escritor, que enfrentaram a resistência do pai da noiva e a distância física. O livro conta a história do amor não realizado do telegrafista, violinista e poeta Florentino Ariza por Fermina Daza. Do encontro dos dois personagens nasce uma paixão incontrolável, mas quase impossível. Um Romeu e Julieta do realismo fantástico. Lorenzo, o pai, descobre o idílio e envia sua filha a uma viagem de um ano, na tentativa de fazê-la se esquecer de Florentino. A estratégia funciona. Quando retorna e o pretendente misterioso finalmente se identifica, Fermina o rejeita e casa-se com outro homem, considerado um "bom partido". A partir disso, só resta a Lorenzo duas opções: esperar ou esquecer. Florentino aguarda mais de 50 anos para reconquistar sua amada.
O amor nos tempos do cólera é uma obra absolutamente impactante.  

 

Rua Inácio Pereira da Rocha, 172, * Vila Madalena * São Paulo 

www.editoralimiar.com.br - comercial@editoralimiar.com.brTel. 11 9 4384-8785


capa um pequeno heroi.jpg